Lutadores do povo Darcy Ribeiro

Darcy Ribeiro, um Bolivariano...

Darcy Ribeiro, etnólogo, antropólogo, professor, educador, ensaísta e romancista foi acima de tudo um humanista, revolucionário e bolivariano. Sua luta em defesa dos índios, de uma educação pública integral e de qualidade voltada para as maiorias, de uma universidade necessária aos interesses das maiorias estava totalmente inserida no processo revolucionário e bolivariano de libertação dos povos de nossa Pátria Grande e do Brasil em particular.

Darcy é o exemplo de intelectual orgânico das maiorias exploradas em nosso continente e no Brasil. Combatente e iracundo, viajou por toda a América Latina assessorando governos populares e revolucionários, plantando universidades e inundando as juventudes de consciências esclarecidas da necessidade de superar o dilema da América Latina: revolução socialista ou dependência.

Em seus 75 anos de vida Darcy Ribeiro sempre enfrentou as adversidades com coragem e determinação. Em 64 foi o ultimo a se ausentar do governo pregando a necessidade da resistência armada ao Golpe. Questionando setores que imputavam aos erros de Jango sua derrota em 64, afirmava que o governo de Jango foi derrubado pelas suas virtudes e não pelos seus defeitos.

Como Vice-Governador do Estado do Rio de Janeiro (1982) durante o primeiro Governo Brizola, foi Secretário da Cultura e Coordenador do Programa Especial de Educação, e implantou 500 CIEPs, que são grandes escolas de turno completo e educação integral para mil crianças e adolescentes. Essas escolas, chamadas carinhosamente de Brizolões pela população, foram totalmente descaracterizadas, e até mesmo destruídas, pelos governos que se seguiram e ao não funcionarem na lógica educacional integral concebida por Darcy contribuíram para jogar na marginalidade e no crime toda uma geração de cariocas e fluminenses.

Como senador denunciou a privataria da venda da CSN e da Vale do Rio Doce pelo governo de FHC. Em seus discursos sobre a CSN questiona : “Qual a vantagem de substituir o povo brasileiro por um grupo de empresários, que não hesitarão em vender Volta Redonda ou em se desfazerem de suas ações por um simples vantagem pessoal? O lucro deve substituir o povo na propriedade da fábrica até então realmente brasileira?” Em relação a Vale recorda suas imensas riquezas e pergunta: “por que entregar?” E enumera suas extraordinárias riquezas, suas minas de ferro, de ouro, de níquel, de manganês, minas que ninguém tem em todo o mundo.

Hoje quando a América Latina volta, mais uma vez, a tempos bolivarianos e o mundo vive uma crise civilizatória, a obra de Darcy Ribeiro inspira escritores, pensadores, revolucionários, movimentos sociais e políticos e todos aqueles lutadores e lutadoras sociais preocupados com o futuro da civilização humana e sua emancipação da sociedade do capital.

Darcy Ribeiro esta vivo e presente na América Latina que Fidel Castro, Hugo Chavez, Evo Morales e Rafael Correia estão construindo com a unidade dos povos latino-americanos. Os bolivarianos brasileiros e latino-americanos tem na vida de Darcy Ribeiro um exemplo e em sua obra um guia para nossas ações em busca da libertação de Nossa Pátria Grande.

Nenhum comentário:

Postar um comentário