Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

O legado da Carta Testamento e a luta pelo socialismo do século XXI

De 1930 a 1964 a cena política brasileira foi dominada pelo embate sobre os rumos que o Brasil deveria tomar enquanto nação para tornar-se um país desenvolvido.

De 30 a 54 a figura política de Vargas aglutinou um campo político que defendia a necessidade de um projeto de nação brasileira baseado na independência política e econômica e com um caráter nacionalista burguês. Porém, com o desenrolar da luta política e principalmente após o suicídio de Getulio e a divulgação da Carta Testamento, esse campo modifica sua composição social e vai paulatinamente assumindo a necessidade de um desenvolvimento voltado para as maiorias, socializante e com um caráter nacionalista revolucionário.

Contrapondo-se a esse projeto, conformou-se um campo que inicialmente defendia o retorno ao poder político das oligarquias agro-exportadoras afastadas na chamada Revolução de 30 que, com o passar da luta política, também modifica sua composição e caminha para a defesa de um desenvolvimento associado e depend…

Últimas postagens

A REVOLUÇÃO BOLIVARIANA DA VENEZUELA ENTRE O LIBERALISMO DE ESQUERDA E A ESQUERDA CIPAIA

A Assembleia Nacional Constituinte e a necessária ruptura com capitalismo na Venezuela Bolivariana.

Fio da História

Eleições 2018 - Reformas de Base rumo ao socialismo.

A derrota eleitoral de Freixo e Luciana aponta um desafio

Solidariedade A Revolução Bolivariana

Nota de ruptura com as Brigadas Populares